Fate - Enciclopédia do Universo | Guia HGS - HGS Anime HGS Anime: Fate - Enciclopédia do Universo | Guia HGS

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Fate - Enciclopédia do Universo | Guia HGS


A postagem será atualizada conforme saírem novos anúncios e análise das respectivas obras no blog. 
Última atualização: 22/10

O início



A origem de tudo foi com Kinoko Nasu e Takashi Takeuchi, que juntos fundaram a empresa Type-Moon. Começando com o Kinoko Nasu, criador, escritor, supervisor e responsável por publicação dos trabalhos da empresa, em conjunto de Takashi Takeuchi, Ilustrador e co-fundador da empresa.

Os primeiros registros dos trabalhos do Nasu datam 1995/1998, com os lançamentos livros/roteiro da novel de Kara no Kyoukai e Mahou Tsukai no Yoru, sendo lançado na Comiket 56 de 1999 o primeiro citado. Além das obras que remetem a Tsukihime no período de 2000/2003, mas esses vamos deixar para o guia da Type-Moon.

As obras que compreendem as criações de Kinoko Nasu foram apelidadas pelos próprios fãs como “Nasuverse”, mas nem todas as obras entram nesse universo compartilhado, pois a “linha principal” é composta por: Fate, Tsukihime, Kara no kyoukai, Mahou Tsukai no Yoru ,Angel Notes e Mahoutsukai no Hako.

Blog da Type-moon (Mais do Nasu mesmo)

Agora vamos para as obras que abrangem ao universo de Fate:

Fate/stay Night - Visual Novel


É uma visual novel eroge (+18), lançada em 30 de Janeiro de 2004.

Eroge: Um gênero de jogos de computador que possuem algum conteúdo erótico explícito, geralmente desenhado no estilo anime/mangá.

Contexto de Criação

A motivação por trás de Fate foi simples: Nasu era um grande fã do mangá Samurai Resurrection (Makai Tensho), que envolvia batalhas entre figuras históricas mortas de todo o Japão. Inspirado na obra, Nasu queria escrever uma história sobre heróis históricos de todo o mundo participando de uma grande batalha. O conceito básico de Fate, como a batalha pelo Santo Graal, magos e servos, já tinha sido definido.

Na época, Fate não foi criado com a intenção de ser um jogo, muito menos um adulto. Nasu era simplesmente um estudante de segundo ano, cujo objetivo, era ter sua novel vendida em livrarias em todo o país; Da mesma forma que seu amigo Takeuchi era simplesmente um aspirante a artista que queria pular para o negócio de mangá. Inicialmente, Nasu escreveu apenas o que se tornaria o enredo de "Fate" (o jogo Fate/stay Night tinha três storylines, a história “Fate” sendo uma delas). Em seus esboços adiantados, a heroína de Fate, Saber, era um homem, e a protagonista era uma menina com de óculos (vulgo, Fate/Prototype). Por uma série de razões, Nasu parou de escrever na luta com Sasaki Kojiro (cerca de 1/3 do enredo atual da rota Fate), e deixou o trabalho de lado por muitos anos.

História

A história da novel ocorre em 2004, e seu começo acontece em torno do mesmo tempo que os eventos do final de Tsukihime. Fuyuki City é o cenário para uma guerra secreta e violenta entre magos. Durante os últimos dois séculos, sete magos foram reunidos e se envolveram em um Battle Royal, cada um coloca sua própria vida em risco para obter o Santo Graal, um cálice lendário capaz de conceder desejos. As últimas quatro guerras do Santo Graal ocorreram tipicamente a cada sessenta anos, mas a quinta guerra começou prematuramente, apenas dez anos após a quarta guerra.



A narrativa segue o protagonista Emiya Shirou que acaba se tornando um mestre por acaso, sendo arrastado para essa guerra. A novel consiste em três rotas: Fate, Unlimited Blade Works e Heaven’s Feel. E cada uma dessas rotas tem a sua própria heroína com mais de 50 horas de gameplay, com um gameplay composto de escolhas que podem resultar em Bad endings, Normal ending, Good ending e True ending.




Em 2007 foi lançado uma nova versão, a Realta Nua, contendo um visual mais limpo e CGs bem melhores que os antigos. Com uma trilha sonora remasterizada, o conteúdo +18 removido. Para os interessados, existe um patch de tradução disponível para PC, com tradução feita por fãs.

PVs: Fate / UBW / HF

Para quem possuir a disponibilidade de tempo o melhor a se fazer é jogar a Visual Novel, a narrativa do Nasu é excelente e se encaixa muito bem no estilo, com uma forma singular de desenvolver a narrativa, muita informação e crítica, mas de forma lenta e mesclando bem com situações do dia a dia. As transições soam orgânicas, então você não vai sair de um diálogo mais leve e interativo, para uma cena mais pesada e impactante sem um preparo necessário.

O diferencial da visual novel é a sua ambientação e construção mental do personagem, a obra faz questão de você saber o que o protagonista está pensando e qual é a situação em que está, trazendo muito bem aquela sensação de estar no corpo do personagem, no quesito imersão a novel dá um show.

A primeira rota é cotada por grande parte dos que jogaram como a mais fraca, não por ser ruim, é que as subsequentes têm algum aspecto que lhes dão algo a mais, ponto em que a primeira é meio que órfã (também pelo pseudo-machismo que movia o romance). O UBW possui um trabalho excelente em cima da mentalidade do protagonista e a premissa de ser um herói, intercalando essa construção mais densa com o desenvolvimento da Rin, o que traz uma dinâmica legal e bem dosada. Já o Heaven’s Feel, é um Fate/zero 2.0, aproveitando muito das lacunas que foram apresentadas no Zero para desenvolver uma narrativa mais dramática e pesada, trabalhando os personagens de uma perspectiva completamente ímpar, com revelações e conflitos mais intensos, mas com uma narrativa mais lenta, e com muito “senpai” no decorrer da novel. Quando for falar das animações de cada um eu me aprofundo mais.



Sobre a rota UBW da novel
O jogador deve completar o cenário Fate antes de poder entrar em Unlimited Blade Works. É necessário completar esta rota para acessar a rota final: Heaven's Feel. Embora seja possível entrar na rota Unlimited Blade Works sem ter terminado a rota Fate ao recusar a oferta de cooperação de Tohsaka, mas entrar na rota dessa maneira leva a um inevitável bad ending.

Sobre a rota Heaven’s feel da novel
A heroína desta rota é Sakura Matou. Heaven's Feel é a terceira e última rota que o jogador poderá jogar no Fate/stay Night. Pode ser acessada após as duas primeiras rotas, Fate e Unlimited Blade Works, serem concluídas.


Garden of Avalon




Garden of Avalon é uma novel escrita por Kinoko Nasu que foi lançada com o primeiro conjunto de Blu-Ray box de Fate /stay Night: Unlimited Blade Works em 25 de março de 2015. A obra visa complementar a Rota Fate, contando o passado da Saber e o seu reinado.

Em 2016 a novel foi adaptada em um Cd Drama.

Deem uma olhada no Fate Complete Material, tem um para cada rota e um extra.








Fate/stay Night Mangá



O mangá de Fate/Stay Night é uma adaptação serializada da visual novel, ilustrado por Nishiwaki Datto e que fora publicada pela Kadokawa Shoten na Shounen Ace. O enredo segue a rota Fate como base e com alguns elementos da rota Unlimited Blade Works e de Heaven’s Feel, e eventualmente desloca o foco inteiramente para a rota Fate, o que é bem estranho, mas não chega a ser insatisfatório. Os traços e construção de quadro têm as suas quedas, mas nada ofensivo, apenas é inconstante. O mangá foi licenciado para um lançamento em inglês na América do Norte pela Tokyopop em 2007. E está sendo publicado aqui no Brasil pela Panini. Ambos em um formato de vinte volumes encadernados.

Um detalhe interessante é que no 1º volume do mangá, tem uma espécie de posfácio onde o autor fala sobre como foi desenvolver o mangá de fate, falando mais sobre o processo de desenhos de quadro/ilustrações, sua dificuldade em desenhar de formas especificas alguns personagens, que no caso dele é devido ao seu traço mais arredondado, para quem ler o mangá vai perceber um processo gradativo de adaptação aos traços do Takashi Takeuchi. Além é claro, da dificuldade que é adaptar o roteiro da novel ao mangá, apesar da Type-moon disponibilizar todo material possível para o mangaka.


Agora, qual é a Ordem para assistir os animes de Fate?

1º - Ordem cronológica

      

Essa ordem é a mais indicada para quem está começando a conhecer a franquia, já que as obras conseguem linearizar bem a estória, tanto que muitos elementos do UBW foram criados para passar algumas mensagens subliminares para quem já viu o Fate/Zero, alinhando os acontecimentos de forma a entrelaçar os dois, mesmo sendo Heaven’s Feel a rota com conexões mais evidentes e bem trabalhadas. Essa sequência é mais didática e progressiva, mas também é mais expansiva, já que fate/zero tem elementos de outras obra do Nasuverse.

2º - Ordem de lançamento

    

A ordem de lançamento só é indicada para quem já viu o Fate/Stay Night, devido as relações desenvolvidas em Fate/Zero e Fate/UBW. Não Vejam o UBW ou HF antes dos outros, vai estragar muito da sua experiência por não terem base para entender essa sequência, a narrativa foi feita para seguir uma ordem, Fate, UBW e HF, essa ordem é praticamente um padrão.

OBS: O Fate/stay Night 2006 não é muito bom, é bem abaixo se comparado às outras adaptações, então não se sacrifique vendo aquilo, se não for do seu gosto pode pular, já que o Nasu construiu o UBW de forma a preencher a lacuna da rota Fate.

Agora vamos falar de cada um deles:


Fate/Stay Night 2006


Tema/Gênero: Ação, Sobrenatural, Fantasia, Magia, Romance

Estúdio: Deen
Diretor: Yuuji Yamaguchi
Origem:Visual Novel
Episódios: 24



Studio Deen fez uma adaptação de anime para TV da rota Fate. Os episódios foram ao ar originalmente entre janeiro de 2006 e junho de 2006 no Japão. A narrativa é baseada na primeira rota, a rota Fate, mas com presença de elementos das outras rotas, como Unlimited Blade Works e Heaven’s Feel - assim como o mangá.

Em aspectos narrativos e aproveitamento do material original a obra é bem fraca e a animação é bem precária. O único ponto que pode fazer você assistir a obra é a trilha sonora de Kenji Kawai (Ghost in the Shell), que consegue fazer um incrível trabalho e agregar muito a obra, além de poder ver, mesmo que não tem bem animadas, algumas batalhas não presentes nas outras animações, mas em âmbitos gerais é só isso.




Em 2010 foi lançado um filme da rota UBW pelo estúdio Deen, mas como era de se esperar o filme foi bem fraco, muito devido a tentativa de transformar horas de jogo de forma compilada em um filme, o que exigia um conhecimento prévio extenso para conseguir seguir o ritmo do longa pela não explicação de conceito algum. Vale citar que a staff do filme é a mesma que do fate 2006, jogando a hype na adaptação lá pra baixo.





Fate/Unlimited Blade Works 2014

Tema/Gênero:  Ação, Sobrenatural, Fantasia, Magia, Romance e Battle shounen

Estúdio: Ufotable
Diretor: Takahiro Miura
Origem: Visual Novel
Episódios: 25 + 2 especiais




Trailers: PV1 / PV2 / PV3 / PV4

A adaptação da rota Unlimited Blade Works de Fate ficou por conta da Ufotable (Kara no Kyoukai , Fate/zero), que já havia animado as 3 aberturas do Fate Realta Nua de PSVITA. O primeiro cour estreou em 27 de dezembro de 2014 e a segundo em 4 de abril de 2015.

Takahiro Miura (6º filme de Kara no Kyoukai) dirigiu a série, e Atsushi Ikariya, Tomonori Sudou e Hisayuki Tabata adaptaram os desenhos de personagens originais de Takashi Takeuchi. O roteiro da serie foi baseada no roteiro original de Kinoko Nasu. A série foi originalmente planejada para adaptar a rota Fate, mas foi alterada para Unlimited Blade Works depois que a produção começou. Entre os nomes de impacto na Staff, tínhamos Yuki Kajiura (Kara no Kyoukai, Baccano, Pandora Hearts) como compositora sonora auxiliar, Kazuharu Satou (Fate/zero) no script e Hideyuki Fukasawa (Visual Novel de Mayoho) na trilha sonora.

Além de manterem os dubladores originais do anime de 2006 e de outros trabalhos.  A adaptação da Ufotable incluiu algumas mudanças da narrativa em relação a novel, nos episódios 15, 23 , 24 e 25.

Em aspectos técnicos a obra é magistral, com uma animação excelente pela Ufotable e uma trilha sonora sensacional da Hideyuki Fukasawa. Contando com um roteiro muito fiel a visual novel e uma ambientação mais leve se comparado com o Fate/Zero, o que foi justificado pelo próprio Nasu em entrevista, dizendo que a obra tinha foco no entretenimento e isso ficou bem ilustrado nos traços mais “animê”, com elementos de romance, comédia e battle shounen. No entanto, UBW ainda faz uso de elementos mais pesados, de forma a propor uma reflexão ao espectador, sendo uma ótima obra, bem diversificada e com uma produção singular.



A Type-moon Ace 10 trouxe diversos conteúdos sobre a adaptação dessa rota, segue algumas imagens da revista, aparentemente não está disponível em inglês.




O Nasu participou de uma entrevista em que falou sobre o papel dele no processo de desenvolvimento de animação da segunda rota da visual novel de Fate/Stay Night. Essa entrevista vinha em forma de encarte junto com o Blu-Ray da série, no caso referente a primeira temporada.


Além do criador original, o diretor e o produtor do anime também participaram, segue a entrevista, dessa vez não está disponível em pt-br, só em inglês.

     


Fate/ Heaven’s Feel (2017)




Trailers: PV1 / PV2

Fate/Heaven’s Feel recebeu anúncios no final de 2016, juntamente de um pv do anime. A animação ficará por conta da sempre competente Ufotable (Kara no kyoukai, Fate/zero), que com certeza conseguirá trazer o melhor em aspecto audiovisual, já que suas séries são insanamente bem desenvolvidas, saber que vão focar as suas finanças em longas já traz aquela hype. A Staff já confirmada é Yuki Kajiura (Fate/zero, Fate/UBW, Kara no kyoukai) e Sudo Tomotoku na direção.

Para quem ficar interessado a visual novel de Fate/ Heavens Feel, que só está disponível em inglês por meio de patch feito por fãs, o canal Fate Sekai disponibiliza o jogo em formato de vídeo em pt-br, para quem tiver interesse. E por fim, existe algumas imagens promocionais e algumas informações sobre a adaptação na Type-moon Ace Volume 11.


Em fevereiro de 2017 a revista mensal da Kadokawa, a New Type revelou mais informações sobre as obras de Fate, incluindo ilustrações originais de Takashi Takeushi.






Em 3 de abril de 2015, um segundo mangá de Fate/Stay Night foi anunciado. O mangá é baseado na rota Heaven's feel e é ilustrado por Task Ohna, que também ilustrou o mangá Hyouka. Muitos sites disponibilizam as scans do Mangá, que atualmente conta com 8 capítulos traduzidos. Agora só nos resta saber se esse mangá cair no esquecimento como o do Hollow Ataraxia, que explicarei a seguir.


Fate/ Hollow Ataraxia





Fate/hollow Ataraxia é uma visual novel criada pela TYPE-MOON em 2005, e é a sequência de Fate / Stay Night. A palavra "ataraxia" no título é um termo grego para "tranquilidade", dando ao título o significado combinado de "tranquilidade vazia (ou falsa)". O jogo também foi relançado para o PlayStation Vita em 27/11/2014, inclui dublagem completa e outras melhorias. O conteúdo da versão Vita é censurado como o Fate Realta Nua.

A trama de Fate/Hollow Ataraxia ocorre 6 meses após os eventos de Fate/Stay Night, se situando em Fuyuki City. A história, como Kagetsu Tohya, ocorre em um mundo de sonhos que reflete múltiplas linhas de tempo ao mesmo tempo. É uma história que "abrange os fins de todas as rotas “ (do Fate/Stay Night). No entanto, “ele não segue especificamente nenhuma delas". Kinoko Nasu disse: "É melhor se você não pensar muito sobre isso" quando questionado sobre o seu lugar na linha do tempo.

Bazett Fraga McRemitz foi enviada a Fuyuki pela Associação dos Magos para ser Mestre na Quinta Guerra do Santo Graal. A história começa quando ela acorda no 4º dia da guerra sem memória e com um Servo ao seu lado, o Avenger. Enquanto isso, Shirou Emiya está vivendo sua vida feliz depois da Quinta Guerra, quando ele começa a notar um distúrbio na cidade. Os Servos sentem um perigo se aproximando, e criaturas das trevas surgem, atacando quem quer que seja. Shirou para proteger seus amigos, acaba por encontrar por diversas veze, uma garota misteriosa, Caren Hortensia.


Em 2013, foi anunciado o mangá Fate/Hollow Ataraxia , que veio a ser ilustrado por Medori e publicado pela Kadokawa. Mas depois de um tempo não houve mais notícias, apenas o 1º capítulo está disponível em pt-br.


A título de curiosidade, Hollow Ataraxia possui minigames, muito deles, além da própria narrativa. São base para as piadas de Carnival Phantasm, se você não leu, com certeza vai perder muitas dessas piadas, assim como Kagetsu tohya para Tsukihime.






Fate/Zero




Fate/Zero é uma novel escrita por Gen Urobuchi como uma pré sequência para Fate/stay night, com ilustrações de Takashi Takeuchi. O projeto começou quando o escritor da Nitro +, Gen Urobuchi, se encontrou com Kinoko Nasu e Takashi Takeuchi. Takeuchi propôs que a prequel ficasse a cargo de Urobuchi, que já tinha experimentado o bloqueio do escritor em tentar escrever uma história feliz. Urobuchi, que era conhecido por suas histórias trágicas, concordou em se tornar o escritor do projeto. Embora Urobuchi seja o escritor para a série, o projeto foi supervisionado por Kinoko Nasu, que auxiliou o processo de construção de personagens e trama.

O primeiro volume foi lançado em 12 de dezembro de 2006, e é uma colaboração entre TYPE-MOON e a desenvolvedora companheira, Nitro +. O segundo volume foi lançado em 31 de março de 2007. O terceiro volume foi lançado em 27 de julho de 2007. O quarto e último volume foi lançado em 29 de dezembro de 2007, juntamente com o Fate/Zero Original Image Soundtrack "Return to Zero". Quatro conjuntos de CDs de Drama foram lançados de 2008 a 2010. A editora New Pop trouxe a light novel para o Brasil em 2015 e está atualmente no 3º Volume.

Fate/Zero ocorre 10 anos antes dos eventos de Fate/Stay Night no ano de 1994, detalhando os eventos da 4º Guerra do Santo Graal em Fuyuki City. Originalmente fundada pelas famílias Einzbern, Tohsaka e Matou, a guerra envolve sete Mestres e sete Servos sob sete classes: Saber, Lancer, Archer, Rider, Caster, Assassin e Berserker. O primeiro volume da Novel e os primeiros episódio do anime são bem introdutórios e focam em apresentar cada um dos personagens, bem como contextualizar suas motivações e ideologias. A narrativa de fato gira em torno dos seus personagens.

Quanto ao conteúdo da Novel vou me limitar a falar da versão da Newpop. A novel possui características que remetem muito ao roteiro da animação, muitos dos diálogos e construção das cenas são semelhantes, o que faz o leitor não perder tanto só vendo o anime, passando o sentimento de que está vendo uma expansão daquilo que já viu, relacionando o anime e a novel de forma coerente. Porém, a novel tem muitos detalhes que ampliam o conceitos do universo criado originalmente pelo Nasu, e isso é um ponto muito relevante para quem quer saber o mínimos detalhes do universo, o que faze muita diferença para algumas pessoas -como é meu caso.

A Novel tem um posfácio onde o próprio Gen Urobuchi fala sobre o processo de desenvolvimento da Novel e da animação, que é datada como 2013, ou seja, posteriormente a animação. Explicando alguns pontos, principalmente do porquê a obra só ser vendida em livrarias especializadas e o quão impactante foi o seu trabalho com Fate/Zero pra ele. Um review da novel ainda vai ser feito, então fiquem de olho no blog.



Anime Fate/Zero

Tema/Gênero:  Ação, Sobrenatural, Fantasia, Thriller e Drama

Estúdio:Ufotable
Diretor: Ei Aoki
Origem: Novel
Episódios: 25






Trailers: PV1 / PV2 / PV3
            
A 6º edição da revista Type-Moon Ace relatou que uma adaptação de anime de Fate / Zero tinha recebido o sinal verde para a sua produção. Foi produzida pelo estúdio Ufotable e começou a ser exibida em outubro de 2011.


Esta era a terceira produção de um anime da franquia Fate, após os 24 episódios Fate/Stay Night e o filme da rota Unlimited Blade Works. Nico Nico Douga e Aniplex fizeram o Streaming de Fate/Zero em todo o mundo com oito legendas em diferentes idiomas (coreano, chinês (tradicional e simplificado), inglês, francês, alemão, italiano e espanhol). Aniplex of America ainda vende o Fate / Zero Blu-ray Boxset, com legendas em inglês na América do Norte através da Rightstuf.com.


O anime foi originalmente programado para ser exibido em um cour de 25 episódios, mas pela possível queda da qualidade da animação pela falta de tempo e orçamento, o estúdio optou por dividir a obra em dois cours de 13/12 episódios. A primeira temporada foi de outubro a dezembro de 2011 e a segunda foi de abril a junho de 2012. A Staff estava no ápice de qualidade, com grandes nomes dentro da indústria, como Gen Urobuchi e Kinoko Nasu, que juntos auxiliaram no planejamento da animação e supervisionaram o andamento da obra. Yuki Kajiura responsável pela a trilha sonora (Pandora Hearts,Kara no Kyoukai, Baccano), a direção de Ei Aoki, que na época havia trabalhado na direção do 1º filme de Kara no Kyouka,i e principalmente a gigantesca equipe responsável pela animação da Ufotable.

Em aspecto técnicos Fate/Zero mantém a alta qualidade de animação de UBW, que é o mesmo caso da trilha sonora, que “continuaram nas mesmas mãos”. Mas o que destaca a obra é o seu roteiro, um trabalho insano na dimensionalidade dos personagens e uma trama instigante com ótima direção, sendo que muitos deles não eram nem do Gen Urobuchi, a maioria já vieram prontos, o que realça ainda mais a dificuldade em desenvolvê-los. A trama também se destaca, ainda mais pela sua forma desenvolver a narrativa sem foco delimitado a um personagem e o uso de conceitos do “Nasuverse” para agregar ao universo produzido.






Sala de Consultas Einzbern


Trailers: PV1 / PV2

Cada Boxsets do Blu-ray continham três episódios de Please! Einzbern Consultation Room Escrito por Kinoko Nasu, sendo uma prequel de Fate/stay Nights Tiger Dojo. Ele apresenta versões alternativas de Irisviel von Einzbern e Taiga Fujimura, estudante n º 0, explicando vários detalhes que não conseguiram ser explicados no anime ou ficaram subentendidos, preenchendo as lacunas que a obra não fechou. Além apresentarem diálogos e interações com servos já derrotados, falando mais sobre o mesmo, como foi o caso do Hassan.


Mangá Fate/Zero




Junto com a produção de anime, uma adaptação de mangá de Fate/Zero começou a ser serializada na edição de fevereiro de 2011 de Young Ace, com a ilustração de Shinjirou. Diferente da relação da novel e o anime, o mangá não é lá essas coisas, já que não tem nada que o destaque, principalmente em traços, sendo uma expansão que não soma tanto quanto as outras obras de Fate/zero.
Por que Fate/zero é Spin-off?

Devido a certos detalhes menores, como se Gilgamesh tinha visto a Excalibur ou não durante a 4º Guerra do Santo Graal, Fate/Zero é tratado como sendo em um mundo paralelo extremamente semelhante ao passado retratado em Fate/Stay Night, principalmente pelas “coincidências” retratadas na rota HF.

Em uma das Streams do jogo Fate/Grand Order, foi explicado qual é a linha principal, ou seja, canônica. Falando mais sobre o Zero como spin-off, que na época deu o que falar nos grupos de Fate. Link da Stream.



(A qualidade está ruim devido a plataforma nicovideo limitar quem não é assinante premium)

Fate/Kaleid liner PRISMA☆ILLYA Anime
Tema/Gênero: Ação, Sobrenatural, Fantasia , Magia e Comédia
Estúdio: Silver-Link
Diretor: Shin Oonuma
Origem:Mangá
Episódios: 42 + 21 especiais + 2 OVAs



Trailers Anime/Filme: PV1 / PV2 / PV3 / PV4 / PV5 / PV6 / PV7 / PV8 / PV9 / PV10

É um spin-off baseado no mangá de Hiroshi Hiroyama, tendo no total 3 temporadas e ainda irá ganhar um filme nesse ano, que cobrirá a 3º temporada. Se passando em um universo alternativo de Fate/Stay Night, é um Mahou-Shoujo que se passa também na cidade de Fuyuki, em uma linha temporal diferente de Fate/Stay Night.

Na obra, Kiritsugu e Irisviel impediram que o ritual da Guerra do Santa Graal se concretizasse antes mesmo dela acontecer, selando assim as memórias de Illya para que ela pudesse viver como uma garota normal. Agora Illya e Shirou vivem uma vida pacífica como irmãos, sem nenhum conhecimento de magia pela tutela de Sella e Leysritt enquanto seus pais estão no exterior a trabalho. Porém, não dura muito, pois ao encontrar um cajado mágico falante "Ruby", no qual lhe concede o poder de se transformar em uma Garota Mágica com a função de encontrar e coletar os "Cartões de Classe baseados nas classes de Servos". Obs: Os eventos alternativos de Fate/Kaleid são em partes explicados em Fate/Zero.


Link do mangá 1 e do mangá 2
  
Em aspectos técnicos a obra não faz feio, com uma animação consistente e polida, de forma a evidenciar uma das maiores qualidades da obra, as suas cenas de ação, possui uma boa trilha sonora, como é de praxe nas obras da Type-moon. A narrativa tem muitos elementos de ecchi e comédia, remetendo um pouco ao Carnival Phantasm nesse sentido. Apesar disso, a série fica mais densa conforme a narrativa vai se desenvolvendo, fazendo bem o seu papel de agregar mais enquanto faz bom uso de muitos personagens da frânquia.            

Não recomendo para quem não assistiu Fate/Stay night, Fate/Zero e em um grau um pouco menor Fate/Hollow Ataraxia, isso porque muitas das piadas e referências dependem desse conhecimento prévio, assim como Carnival Phantasm, pode afetar negativamente o seu proveito com a obra, mas não no mesmo grau. Apesar disso, a narrativa fica mais densa com o tempo, valendo a pena aguentar um pouco o clima leve da 1º temporada para desfrutar do desenvolvimento da narrativa que vem nas posteriores.


O jogo Fate/Grand Order fez uma colaboração com Fate/kaleid em forma de evento no jogo, no qual disponibilizou a Kuro como personagem “de graça” e a ilya mahou shoujo no gacha de roll (traduzindo, gastar as moedas do jogo para tirar algum personagem, de forma aleatória).


Fate/Apocrypha




Fate/Apocrypha é uma light novel escrita por Yuuichirou Higashide com ilustrações de Ototsugu Konoe e supervisionado por Kinoko Nasu, que planejou e escreveu a maioria dos elementos da história como os personagens pertencentes exclusivamente à obra, como Mordred por exemplo juntamente de sua trama. O primeiro volume foi lançado em 29 de dezembro de 2012 na Comiket 83. O quinto e volume final foi lançado em 30 de dezembro de 2014.


O cenário de Fate/Apocrypha se passa em um mundo paralelo à Fate/stay night onde o Graal Maior foi removido de Fuyuki pelos nazistas, de modo que os eventos do Zero não ocorrem. Por volta da década de 2000, ao mesmo tempo que a Quinta Guerra do Santo Graal teria acontecido, o grupo que saqueou o Graal, Yggmilennia, abertamente declara sua separação da Associação dos Magos e que eles estão na posse do Graal (o grande Graal de Fuyuki). A Associação despacha cinquenta magos para recuperá-lo, mas todos menos um são instantaneamente abatidos por Lancer of Black. O restante consegue ativar o sistema de reserva do Graal Maior, permitindo a convocação de quatorze Servos no total.


Isto marca o início da Grande Guerra do Santo Graal em Trifas na Romênia, com duas facções diferentes, a Facção Negra , cujos membros fazem parte de Yggmilennia, e a Facção Vermelha , que os membros foram enviados pela Associação dos Magos, com exceção de um membro da Igreja, o pseudo Ruler dessa guerra. Posteriormente, o Graal também convoca um Ruler para agir como um mediador da Guerra do Santo Graal.


Quanto a conteúdo da obra, eu só posso falar pela Novel, já que só vi algumas scans do mangá. A novel lembra bastante o Zero, com uma narrativa mais densa e madura, usando bem os elementos já previamente criados, reciclando-os e mantendo a fidelidade em relação a frânquia. Em especial o jogo político e ambientação da Europa, focado na Romênia, ficou muito fidedigna, com um certo momento de diálogos entre a Assassin e a sua mestra sobre o passado e a situação do atual do país. Já os personagens têm um trabalho que se assemelha ao Zero no seu nível de maturidade com relação ao universo proposto (Não que o Stay Night não tenha, é que ele possui uma proposta diferente).

A obra também tem uma mangá que vem sendo serializado por Akira Ishida.



Uma curiosidade interessante é que Fate/apocrypha foi projetado para ser um jogo online de MMO, vários detalhes e desenhos de personagens foram coletados em Fate/Complete Material IV - Extra Material (link mais acima). A TYPE-MOON e um desenvolvedor de videogames sem nome é quem estavam desenvolvendo este jogo, no entanto, o projeto foi descontinuado na fase de planejamento.



A Type Moon lançou uma história escrita como o primeiro capítulo, com foco em Jack The Ripper (que ele projetou para o jogo MMO original) e sua Mestre, Reika Rikudou, na TYPE-MOON Ace 7 em 15 de dezembro de 2011. Enquanto os elementos da história de Reika e Jack ainda existem na versão da novel, a própria história não tem nenhuma relação com o enredo da novel. Além de lançar um preview da novel na TYPE-MOON Ace 8, onde se mostra que Musashibo Benkei e Sakata Kintoki não foram incluídos na história.




Novel em PT-BR (só vai até o começo do volume 2):


Fate/Apocrypha Anime




Trailers: PV1 / PV2


O principal, no entanto, foi o anúncio de que a obra ganharia uma animação ainda em 2017, pelo estúdio A-1 Pictures. A staff confirmada até agora é composta por, Yoshiyuki Asai na Direção (Charlotte), Konoe Otsu com o design original de personagens, Yuichiro Higashide como Roteirista Chefe (Danganronpa 3 e Gakkou Gurashi!), Yamada Yukei como Character Design e Masaru Yokoyama(Mobile Suit Gundam: Iron-Blooded Orphans). O que realmente veio a empolgar com essa staff é que diferente do OVA de Fate/GO, o currículo dos profissionais é mais extenso, o diretor, por exemplo, trabalhou em Charlotte e fez um ótimo trabalho - já que o principal problema do anime citado é roteiro. A incógnita é quanto ao orçamento que será disponibilizado para a obra, sendo a A-1 o estúdio, é sempre esperar até o momento de exibição, já que o estúdio é bem inconsistente e depende do orçamento e do direitor em suas animações, produzindo desde Shigatsu wa Kimi no Uso á Qualidea Code.

Key Visual da animação de Fate/Apocrypha que saiu recentemente na revista New Type:






Fate/Prototype


Tema/Gênero:  Ação, Sobrenatural, Fantasia e Magia
Estúdio: Lerche
Diretor: Seiji Kishi
Origem: Original
Episódios: 1 OVA (12min)




Fate/Prototype é a versão original adaptada do Old Fate, feita por Kinoko Nasu enquanto ainda estava no ensino médio como já citado no começo do guia. A versão original de Fate/stay night, inicialmente idealizada, agora é chamada Old Fate ou Fate Origin, e foi uma novel que Nasu escreveu durante o ensino médio como já citado, eventualmente sendo amplamente redesenhada como uma visual novel, visando atender o público-alvo. A Type-Moon estava relutante em abandonar completamente muitos dos "encantos originais" que foram descartados, desejando utilizá-los de alguma forma a cada ano que passava. Vinte anos depois da novel original ser escrita, decidiram usar o lançamento de Carnival Phantasm, descartando outras propostas como a Princesa Arcueid VS Saber Lily ou uma cena de Tsukihime 2 (não!!!!!!!!!!), para "apenas uma vez, retornar ao original" para o tardio décimo aniversário da empresa.

Eles decidiram enquadrar a animação como um trailer de filme, utilizando as melhores partes e ainda contando a história corretamente. Nasu sentiu que a ideia principal do trabalho foi constituída nos moldes de uma novel dos anos 80, "Uma história de revolucionar o mundo", e teve grande interesse em retornar ao trabalho. A grande diferença da conquista do Santo Graal original para o produto final de Fate/Stay Night pode ser dito da seguinte forma, “para representar as novas tendências do período”.

O mundo de Fate/Prototype é muito semelhante ao de Fate/Stay Night em questão a estrutura das Guerras, entretanto a história é ambientada pelo sistema de Hierarquia Angelical em relação aos servos sendo assim bastante diferente. Então temos a partir da sétima ordem Angelical: Princes, Powers, Virtues, Dominions, Thrones, Cherubim e Seraphim.




A história de Fate/Prototype ocorre oito anos depois do trágico Heaven's Feel. Aqui, o Santo Graal ainda é o objeto cobiçado. No entanto, a escuridão envolto a esse “Graal" é revelada enquanto os personagens continuam a lutar uns contra os outros, a fim de vencerem.

Ayaka Sajyou é o último membro de sua família, e tenta viver normalmente sem qualquer relação com o passado ou com a guerra real. Entretanto, seu destino foi selado desde que era a irmã mais nova da proeminente Manaka Sajyou, que foi assassinada durante a guerra. Ela ainda podia se lembrar da última coisa que seu pai disse antes de sua morte: "Você não tem escolha a não ser entrar no Heaven's Feel".

No oitavo aniversário da morte de sua família, Ayaka é perseguida por um homem misterioso com criaturas estranhas, durante um pequeno período de tempo um brilho santo traz um guerreiro que a salva. Agora, Ayaka não tem escolha a não ser entrar na batalha (conteúdo do OVA).

Não existem planos atuais para desenvolver o trabalho em uma história completa. Para os interessados, está disponível uma comédia Fate/Prototype Drama CD, que foi incluída com a edição de dezembro 2012 da Comptiq.


Fate/Prototype: Fragments of Blue and Silver


Fate/Prototype: Fragments of Blue and Silver é uma série de light novels prequel, atualmente serializada e escrita por Hikaru Sakurai e ilustrada por Nakahara (o nome vem das cores da armadura do Saber). Assim como nas outras obras, Sakurai discutiu alguns elementos da história com Nasu, no entanto, ele não é um supervisor primário como em outras histórias de Fate. Sendo ela a criadora de seis servos originais, mas ainda procurando conselhos com o Nasu sobre alguns elementos da narrativa.

Fate/Prototype Animation Material (Completo) (Sim, esse é o meu nível de pesquisa.. mas o importante é achar ahahahaha)

Fate/Labyrinth




Fate/Labyrinth é uma série escrita por Hikaru Sakurai, ilustrada por Nakahara e funciona como uma história secundária para Fate/Prototype: Fragments of Blue and Silver. Começou a ser serializada entre o fim da parte 3 e o começo da parte 4 do Prototype: Fragments.

Fate/Labyrinth se passa no Sétimo Labirinto de Caubac Alcatraz, em que alguém instalou e ativou uma das subcategorias do Santo Graal no labirinto de Caubac Alcatraz.
OBS: Resumindo esse labirinto citado, é um local de experimentos mágicos com os mais diversos seres (quimera,golem,etc). É conceitualmente instigante e complexo, então vou deixar assim. Manaka Sajyou é uma existência ligada a Akasha, conceitualmente algo similar a ligação com a espiral da origem, sendo incapaz de experimentar fenômenos como mudança e surpresa, então ela deseja tentar "sonhar" (lembrando que ela é a onipotência em pessoa). Ela envia sua consciência através do Lado Reverso do Mundo, pseudo projeção astral, além do fim do mundo, e em diferentes épocas e diferentes espaços.

Durante a transferência, ela vê um dragão esperando por outro por um tempo muito longo, vê a luz brilhando no final do mundo, e acaba em um apartamento de um quarto que se assemelha a espiral da origem. Depois de sair do apartamento, ela acaba em um labirinto hospedado em uma variação da Guerra do Santo Graal com quatro Servos e Mestres tentando chegar ao fim. Manaka possuiu o corpo de uma Norma (maga enviada para descobrir mais sobre o labirinto) que convocou a versão feminina do Rei Arthur em comparação com o Arthur masculino de seu mundo - o do prototype no caso.



Fate/Strange Fake




Fate/Strange Fake é uma light novel de Ryohgo Narita, autor de Baccano e Durarara com ilustrações de Shidzuki Morii.

Foi originalmente colocado na Homepage de Narita sob o título de "Fake/States Night", apresentado como um prólogo e introdução para um jogo no estilo de RPG, como uma piada de 1º de Abril. O texto foi retirado depois dessa data, mais tarde foi relançado na forma de uma Novel incluído como um extra com a revista TYPE-MOON Ace 2, com ilustrações de Shidzuki Morii e um posfácio pelo autor.




Posteriormente, foi anunciado que uma série de mangás e novel seria publicada, e um breve trailer foi feito.

A trama gira em torno de uma Guerra do Graal que era uma tentativa de copiar a Terceira Guerra do Santo Graal em Fuyuki. Depois do final da terceira Guerra do Graal, uma organização dos Estados Unidos que tem magos separados da Associação de Magos de Londres, tomaram para si os dados da Guerra do Grail de Fuyuki e planejaram seu próprio ritual. Após setenta anos, eles usaram a cidade Snowfield como Terra Sagrada para sua própria Guerra do Graal. No entanto,eles foram incapazes de copiar com sucesso todos os aspectos do ritual, o que levou a que ele agisse apenas como uma imitação que perdeu a classe Sabre e permitiu a convocação de Servos estranhos devido à definição de um "herói" estar deturpada.


Lord El-Melloi II Case Files




Lord El-Melloi II Case Files é uma novel escrita por Sanda Makoto e ilustrada por Mineji Sakamoto. A série se passa no Reino Unido e gira em torno da Torre do Relógio.

O mundo de Lord El-Melloi II é definido como o mesmo mundo paralelo do Fate/Stay Night e relativamente próximo de Fate/Zero, já que o Waver Velvet também participou da Quarta Guerra do Santo Graal. A narrativa gira em torno de Lord El-Melloi II e Gray investigando mistérios do mundo da taumaturgia.

Clock Tower 2015




Torre do Relógio 2015 é uma história curta escrita por Kinoko Nasu seguindo Flauros (aparentemente o vilão do 1º OVA do Fate/GO), um mago do Departamento de Arqueologia na Torre do Relógio.

Nasu publicou pela primeira vez a novel no site por apenas 2 dias em 29 a 30 de abril de 2014. Havia uma versão de arquivo pdf distribuída no blog de Nasu em 8 de julho de 2014. Mais tarde foi publicado em TYPE-MOON Ace Fate/Grand Order, conectando a mesma ao Fate/Grand Order.



Fate Extra (Game)






Fate/EXTRA é um Jogo RPG japonês para PlayStation Portable criado por Type-Moon e Imageepoch e publicado pela Marvelous Entertainment, no qual, foi escrito pelo próprio Kinoko Nasu. O jogo faz parte do PROJETO TYPE-MOON × RPG da Marvelous Entertainment.

Vou tentar resumir de forma a não dar spoilers. O universo de Extra compartilha dos eventos ocorridos no universo de Fate/stay night até um "incidente importante" em 1970, que fez com que a mana do mundo começasse a secar, fazendo com que o Extra se separe como um universo alternativo. A partir da década de 2030, o mana do mundo foi extinta. O mundo é ambientado em uma escola chamada Tsukumihara Academy, um local fictício existente em um ambiente artificial chamado Moon Cell.

Moon Cell orquestrou uma réplica da Guerra do Santo Graal usando um sistema chamado Serial Phantasm ou SE.RA.PH, que lida com a convocação de Servos. Cada um dos 128 participantes na guerra deve duelar com os outros Mestres em um lugar chamado Arena, onde a falha resulta em exclusão do mundo digital e morte no outro. Quando só resta um, o "Santo Graal" concederá o desejo do vencedor.

No jogo você acorda em um mundo virtual como descrito a cima (podendo escolher o sexo do personagem), mas sem nenhum resquício de sua memória, sabendo apenas que seu nome e tendo como principal objetivo descobrir quem você realmente é.  




Algumas ponderações quanto ao jogo: O gameplay é muito interessante, os fãs mais ávidos de RPG japoneses dizem que o Extra apresenta muitos traços parecidos com Shin Megami Tensei: Persona, que eu ainda vou jogar, como dungeons, ataques especiais e o tema escolar, apesar do padrão de ataques ser ditado por um simplório pedra-papel-tesoura, movimentos especiais e magias. O gameplay é muito interativo, isso se deve ao grau de dificuldade ditada pelo jogo, quando joguei no nível mais fácil tive algumas dificuldades em diversas batalhas por exemplo; É exigido esforço do jogador, já que você é apenas um azarão dentro da guerra do Santo Graal e essa diferença é descrita de forma muito verossímil dentro do jogo.
Outro ponto é que o jogo tem traços bem evidentes das Visual Novels do Nasu, sabendo trabalhar bem a narrativa, mesclando momentos mais pesados e reflexivos, com quebras de alívio cômico e entretenimento, o próprio cenário passa esses aspectos, uma dualidade continua dentro da narrativa. Seja pelo gameplay ou pela narrativa o Extra se mostra competente, o jogo já está mais que recomendado!

A título de curiosidade, jogo conta com alguns “easter eggs” de outros personagens do “nasuverse”, o que é algo bem comum, já que todos se interligam, dentre esses 2 em especial se destacam, sendo a Arcueid de Tsukihime e a Shiki de Kara no Kyoukai, que foram colocadas como Boss dentro do jogo, segue o gameplay:





O jogo está disponível atualmente pela PSN, mas apenas em inglês.


Alguns dos materiais complementares do Fate/Extra estão disponíveis abaixo, como mangás, Sound Drama, Extra Material, SoundTrack anunciado no Type-moon Festival de 2012, etc.








Mangá Fate Extra



Segue alguns links dos mangás de Fate/Extra e o Extra CCC. Ccomo eu não li, não posso opinar.

Mangá Fate Extra (Inglês)


Manga Fate Extra CCC



Extra CCC não é uma continuação mas sim uma estória alternativa para o jogo original. Kinoko nos disse para considerar isso uma espécie de Heaven’s Fell desse universo. O jogo possui outros personagens principais alternativos, novos mestres e etc.

Projeto de tradução do Extra CCC


Fate Extra Anime




Trailers: PV1 / PV2

Fate/Extra recebeu anúncios no final do ano passado com um trailer revelando a daptação em anime. O anime tem previsão de estreia para Janeiro de 2018, na temporada de inverno japonês. A animação ficará por conta da quebradora de pescoços, o estúdio Shaft (Monogatari Series, Sangatsu no Lion), que tem tudo para conseguir trazer o melhor do roteiro original, muito porquê o estilo de narrativa se encaixa bem com o estilo da Shaft, com reflexões e cenas mais intensas, alinhadas a quebras de alívio cômico e traços de comédia romântica. A Staff já confirmada contém Akiyuki Shinbo na direção (Mahou Shoujo Madoka Magica, Sangatsu no Lion), Yukihiro Miyamoto na composição de série, Wadaaruko no design de personagens originais, Takiyama Shin no design de personagens e Akatsuki Shinto na trilha sonora.

Assim como no caso do fate Heaven’s Feel, existem algumas imagens promocionais e algumas informações sobre a adaptação na Type-moon Ace Volume 11, quanto o fate extra.

Em fevereiro de 2017 a revista mensal da Kadokawa, a New Type revelou mais informações sobre as obras de Fate, incluindo um artigo com novas ilustrações sobre o Fate/Extra.



Fate Extella


Character Trailer


Fate/Extella: The Umbral Star é um jogo da Marvelous para PlayStation 4 e PlayStation Vita. Ocorre no mesmo mundo de Fate/Extra e Fate/Extra CCC. Foi lançado no Japão em 10 de novembro de 2016 e na América do Norte em 17 de janeiro de 2017. Kinoko descreveu a obra da seguinte forma, "A história da mente entre os seres humanos acabou; Este é um conto entre a humanidade e o mundo, num novo mar esculpido na Lua".

Fate/Extella: The Umbral Star desenrola-se após os eventos da Guera do Graal do primeiro jogo onde Nero e o seu mestre ganharam a guerra tando assim direito a um desejo. Embora o jogo se desenrole sob a perspetiva de Nero, Tamamo no Mae e Attila também ganham histórias paralelas. Personagens de Fate/Stay Night, Fate/Zero, Fate/Extra, Fate/Apocrypha, e Fate/Grand Order se reúnem nesse novo mundo governado pelo super-computador lunar Moon Cell Automaton. Os heróis Servants devem se enfrentar em batalhas pelo reino de SE.RA.PH.

Critica sobre o jogo e as rotas (recomendado para quem já conhece o contexto do nasuverse e do jogo, se não você com certeza vai "boiar"):




Análise do jogo pelo canal capslock

Fate/Extella  Link


Fate/Extella Link é o mais novo jogo da franquia Fate/Extella pela Marvelous, apresentando um novo herói chamado Charlemagne, espírito heróico de Carlos Magno. O novo protagonista é da classe Saber.


A história do jogo ainda não foi revelada, mas ele trás novidades como novas áreas de explorações, novos trajes e ação. O jogo é para Playstation 4.


Fate/Unlimited Codes




Fate/Unlimited Codes é um jogo de luta planejado pela Cavia, desenvolvido pela Oighting e publicado pela Capcom, sendo baseado na Visual Novel de Fate/Stay Night, com a história contada a partir do ponto de vista do personagem com que se está jogando.

Algumas considerações para com o jogo: Diferente de Melty Blood, o game não possui gameplay complexo e diferenciado para cada personagem, todos tem combos simples e com o mínimo de conhecimento dá para constatar que é bem desbalanceado (não é, Gilgamesh?), então não vá esperando um Melty blood, mas de resto as lutas, combos e skills com certeza vão agradar os fãs. A história do jogo é interessante e tem umas tangentes bem curiosas, os extras são um dos elementos mais legais, as skins e outros bônus agregam no senso de recompensa do jogo.




Fate/Tiger Colosseum




É um jogo de luta 3D baseado em Fate/Stay Night, lançado para o PlayStation Portable pela Capcom e cavia, inc. Em cooperação com TYPE-MOON. Uma continuação do mesmo jogo foi feita o que é Fate/Tiger Colosseum UPPER, que ocorre após os eventos de Fate/Tiger Colosseum.

odos os servos que Saber lutou na história, bem como os personagens principais de Fate/Hollow Ataraxia, Bazett Fraga McRemitz e Caren Hortensia fazem uma aparição como personagens jogáveis. Um personagem bônus também foi visto como uma nova adição à lista de personagens. Esse personagem foi revelado como a Saber vestida com um traje de leão, para representar seu animal favorito, empunhando sua espada Excalibur. Nos reboques tudo que ela diz é "Gao Gao Gao!" Que é um som que um leão faria. Além de personagens como a Phantasmoon (Arcueid Mahou shoujo, aparece em Carnival phantasm), Magical Amber e a famosa Neco-Arc.


Download (Japonês, não tem em inglês):
Traduções das Rotas do Jogo (Em inglês e em formato de texto/vídeo):

Fate/ Grand Order




Trailers: PV1 / PV2
                       
Fate/Grand Order é um RPG on-line para o iOS e Android. Referido como o "Fate Online Project Reboot" (o MMO rpg que foi cancelado, citado na parte do apocrypha), é uma reinicialização do projeto original Fate/Apocrypha que eventualmente se tornou uma série de novels.

A história principal consiste em sete capítulos e sete estágios da história da humanidade. É parte de um mundo ramificado pela divisão do espaço-tempo antes de Clock Tower 2015, devido às ações de Lev Lainur Flauros. No caso, se ele se matasse como em Clock Tower 2015, o mundo continuaria normalmente, mas o Fate/Grand Order se passa em um universo em que ele não se suicidou.

A história narra os esforços da Organização de Segurança de Chaldea para restaurar o Sentido Comum do Homem ( "Ordem Humana" ou Alaya, como citado no quinto filme de Kara no Kyoukai) por meio das tentativas de extirpar os Santo Graals que sustentam as Singularidades cronológicas e que perturbam a continuidade da história humana, contribuindo para a Incineração da Ordem Humana . Isto é referido como a Grande Ordem - "a maior das Guerras do Santo Graal".

Os elementos das Visual novels da Type-Moon se fazem muito presentes no gameplay do jogo, Kinoko Nasu disse que "No Fate/Grand Order, uma vez que você tiver um personagem, você vai aprender imediatamente sobre a identidade do Servo". Cada Servo tem seus próprios cenários pessoais, aprofundar seu vínculo com eles também irá desempenhar um grande papel no avanço de seu cenário. Eles são obtidos através de "Saint Quartz". Lembrando que o jogo atualmente só está disponível no Japão e na China, só no idioma, já que há meios para jogá-los.

Foi anunciado nesse sábado,logo depois que saiu este guia, que o jogo Fate/Grand Order vai ganhar um servidor em inglês, com seu lançamento na América em meados de agosto. No mesmo evento foi apresentado o trailer do jogo.



Para mais informações 
Utilidades (instalação, tutorial passo-a-passo, etc)


Trailer dos mapas
Trailer dos eventos
Kara no Kyoukai (Melhor evento que o jogo já viu, vide a trilha sonora)

História do Jogo








Mangá Fate/Go Comic Anthology(Mangá de comédia com os personagens do jogo)
Tradução do texto do mangá de Fate/GO publicado na type-moon ace 11 (em inglês)
Scans do texto acima (em inglês)



Tradução do texto do especial publicado na type-moon ace Fate/Go (em inglês)




Site Oficial do Fate/Grand Order

Em abril foi liberado o jogo Fate/Grand Order Gutentag Omen, uma paródia de 1º de Abril de Pokemon GO com elementos e personagens de Fate/Grand Order e ficou disponível por um curto período.





Koha-Ace



Koha-Ace é um mangá de paródia por Keikenchi. Ele estrela Kohaku e vários outros personagens das séries da TYPE-MOON. É desenhado em um estilo super deformado e chibi, e é uma série auto-consciente que quebra constantemente a quarta parede. O Carnival Phantasm incluiu segmentos baseados na série, e foi o foco da piada do 1º de Abril de 2012.


Fate/Gudaguda (É um desses mangás. Em japonês)
Tirinhas (Japonês)




Fate/ Grand Order: First Order (OVA)



Possui apenas um episódio por enquanto, mas deverá receber outros episódios para cada um dos mapas do game.

Trailers: PV1 / PV2
           
Minha análise do Episódio



Carnival Phantasm (OVA)

Tema/Gênero: Paródia, Sobrenatural e Comédia
Estúdio: Lerche
Diretor: Seiji Kishi
Origem:Mangá
Episódios: 13 OVAS + 2 especiais



Carnival Phantasm é um anime de paródia baseado em Take Moon, um mangá de paródia (obviamente) com base em Tsukihime, criado por Eri Takenashi, o autor de Kannagi: Crazy Shrine Maidens e designer de personagens de Girls' Work.

Ele também usa histórias baseadas em doujins coletadas em antologias oficiais, como citadas na parte de Fate/GO. Coloca personagens da série Fate e Tsukihime em várias situações cômicas, inclusive introduzindo três novos Neco-Arcs, Neco-Arc Bubbles, Neco-Arc Destiny e Neco-Arc Evolution.




Mangá (em inglês)


Já digo de antemão, NÃO VEJA O ANIME SEM CONHECER NO MÍNIMO AS ANIMAÇÕES (ou mangá, já que Tsukihime não tem anime), todas as piadas são calcadas em elementos das visual novels, sendo assim você pode achar engraçado por si só, mas não vai entender o contexto para aquilo. O que seria um grande desperdício para uma obra com um roteiro tão bem feito e alinha perfeitamente com os “memes” e piadas da própria fanbase.

A título de curiosidade, o Good Smile Cafe hospedou o "TYPE-MOON Cafe para Carnival Phantasm" de 23 de agosto de 2011 a 25 de setembro de 2011 em comemoração ao lançamento da série e décimo aniversário TYPE-MOON. Foi decorado com cartazes de Carnival Phantasm, vários figurinos de personagens, e assinado Carnival Phantasm scripts. Eles venderam botões de personagens e apresentaram um bloco de notas com a primeira página assinada por Takashi Takeuchi e a segunda página assinada por Kinoko Nasu. Além de venderam um grande arroz de Mapo do gato (GCM), e duas bebidas flavored, a bebida de Sabre, Excalibur: A espada da vitória prometida  e a bebida de Rin, Média Um: Grande Elemento Cinco Wielder.



Como essas obras entram na ordem principal? Há alguma sequência para elas?


Aqui vou falar de cada uma das obras, pautando os seguintes aspectos:

1º - Se é necessário ou não, conhecimento prévio do universo.
2º - As relações relevantes com outras obras do universo.
3º - Grau de Relevância dos aspectos anteriores (Podem tratá-lo como o grau que demonstra o quanto a obra é auto-contida,o u seja, que se explica por si só).

Exceção as obras que formam pequenos universos sequenciados dentro do Nasuverse.

Tais como:


Universo Prototype que é composto por Fate/Prototype, Fate/Prototype: Fragments of Blue and Silver e Fate/Labyrinth. Necessitando de conhecimento elevado do universo para entender alguns conceitos e que estabelece muitas relações com outras obras do "Nasuverse". Relevância: 8/10


    


Universo Extra que é composto por Fate/Extra,Fate/Extra CCC e Fate/Extella. Necessita de um conhecimento básico do universo e estabelece diversas relações com outras obras do "Nasuverse". Relevância: 4/10


       


Fate/Kaleid liner PRISMA☆ILLYA: Necessita de um conhecimento prévio básico do universo e tem relações indiretas com outras obras. Relevância: 4/10


Fate/Apocrypha: Não necessita de um conhecimento prévio e tem algumas relações com outras obras. Relevância: 2/10



Fate/Strange Fake: Não necessita de um conhecimento prévio, mas ele agrega a obra e tem algumas relações com outras obras. Relevância: 2/10



Lord El-Melloi II Case Files: Necessita de um conhecimento prévio e estabelece algumas relações que agregam em outras obras. Relevância: 7/10



Clock Tower 2015: Necessita um de conhecimento prévio e estabelece relações de suma importância para o entendimento da obra. Relevância: 8/10



Fate/Unlimited Codes(Jogo): Necessita de um conhecimento básico de conceitos e estabelece relações relevantes com outras obras. Relevância: 5/10 (caso se importe com a história)



Fate/tiger colosseum(Jogo): Necessita de um conhecimento elevado da Visual Novel, principalmente da rota Fate e estabelece algumas relações. Relevância: 7/10 (caso se importe com a história)



Fate/Grand Order(Jogo): Necessita de um conhecimento elevado do universo e estabelece muitas relações com outras obras do "Nasuverse". Relevância:9/10 (caso se importe com a história)



Fate/Grand Order(OVA): Necessita de um conhecimento básico do universo, mas alguns conceitos agregam muito a essa introdução e estabelece muitas relações com outras obras do "Nasuverse". Relevância: 4/10


Carnival Phantasm: Necessita de um conhecimento muito elevado do universo e foi criado em cima de relações com outras obras do "Nasuverse". Relevância: 10/10


Links bônus:

Entrevistas (No geral, tem mais coisas)


Nenhum comentário:

Postar um comentário


HGS Anime - 2016